ether moeda - coinrc.com

From Wikinews, the free news source you can write!
Jump to navigation Jump to search

2024-05-29

Popular crypto exchanges(2023 Update) 2024-05-29
Image: coinrc.com

Holanda condena o fundador da Tornado Cash Baleia de Bitcoin acorda após 10 anos e move US$43,9 milhões que comprou por US$2 dólares ether moeda

Com o processo de mudanças climáticas cada vez mais acelerado no Brasil, o governo tem sido empurrado a tomar medidas estruturantes para proteger a população que vive em locais mais propícios à ocorrência de desastres.

Segundo a Confederação Nacional de Municípios (CNM), até janeiro deste ano, 1.942 municípios brasileiros estavam listados como suscetíveis a riscos, com 8,9 milhões de pessoas que moram nessas áreas.

A CNM estima que, entre janeiro de 2013 e fevereiro de 2023, os desastres causaram R$ 401,3 bilhões de prejuízos em todo o Brasil e afetaram mais de 386 milhões de pessoas. O presidente da entidade, Paulo Ziulkoski, destaca que “é comum que os desastres afetem uma pessoa mais de uma vez, seja por seca ou por chuva”.

O governo tem pensado em formas de mitigar os impactos na população mais carente que vive nessas localidades. Um dos exemplos, é a elaboração do novo Plano Nacional sobre Mudança do Clima (Plano Clima), que possui oito planos setoriais de mitigação e 15 de adaptação.

Leia Mais:

Mudanças climáticas podem agravar pobreza no mundo, diz relatório Mudanças climáticas causam riscos à saúde de 70% dos trabalhadores, diz ONU Governo aposta em fundos internacionais para financiar infraestruturas adaptadas às mudanças climáticas

Mas, como forma de acelerar a proteção para essas pessoas, o setor de seguros tem trabalhado para oferecer soluções que atendam melhor e mais rápido a esse público.

Uma das apostas da Confederação Nacional de Seguros (CNSeg) é no seguro social, que visa pagar entre R$ 15 mil e 20 mil para famílias de baixa renda que fiquem desabrigadas por conta das tragédias climáticas.

A ideia é cobrar uma taxa entre R$ 2 e R$ 3 na conta de luz de todos os contribuintes – excluindo os de baixa renda cadastrados no CadÚnico.

Assim, as distribuidoras de energia fariam o trabalho de repassar os valores para as seguradoras, que por sua vez pagariam os sinistros aos atingidos pelas catástrofes naturais. Os valores seriam transferidos via Pix no mesmo momento que a família der entrada com o pedido.

De acordo com o presidente da CNseg, Dyogo Oliveira, também é uma forma de sistematizar o esquema de doações que os brasileiros geralmente fazem para ajudar os desabrigados.

“As pessoas doam dinheiro, doam uma peça de roupa, doam um calçado. O brasileiro é solidário, mas dessa maneira que se faz não funciona muito bem porque essas coisas demoram a chegar para as pessoas que precisam, pois, em geral, são de outros estados. Não é prático, não funciona. Então, a ideia do seguro social é criar um mecanismo ágil, preparado, disponível, que no dia seguinte a pessoa possa receber uma indenização na conta dela para ela comprar o casaco dela, o calçado dela, a roupa dela e ir para um alojamento”, disse à CNN.

Oliveira afirma, no entanto, que a proposta enfrenta resistência e precisa de muito debate para convencer, especialmente, de que o custo das mudanças climáticas é de todos, mesmo que as pessoas não vivam em áreas de risco.

“Em Brasília, quase nunca tem esses casos, na Faria Lima também não, nos Jardins também não. Mas tem lá no ABC, São Sebastião, na beira do riacho. Não é justo que só essas pessoas paguem. Isso não é uma sociedade solidária e foge até a natureza própria do brasileiro. Então, a lógica que é um seguro realmente social, onde todo mundo vai pagar essa conta da mudança climática e dos desastres naturais”, pontuou.

Expansão de seguros com cobertura de riscos climáticos

Nos últimos anos, seguros com características de cobertura de riscos relacionados a catástrofes climáticas têm tido cada vez mais procura.

Em geral, essa modalidade abrange reconstrução de moradia, reposição ou reparo de bens, proteção em casos de incêndio, de queda de raio, explosões, danos ao patrimônio ligados a eventos naturais, entre outros.

Até novembro do ano passado, segundo a CNSeg, o setor havia arrecadado cerca de R$ 8,8 bilhões entre janeiro e novembro de 2023, 17,4% a mais que no mesmo período em 2022 com os seguros residencial, empresarial e condomínio – que possuem essas coberturas.

Juntos, os três seguros pagaram em indenizações na ordem de R$ 3,3 bilhões, evolução de 8,3% em relação ao ano anterior.

Neste ano, apenas o residencial já arrecadou mais de R$ 988 milhões nos dois primeiros meses de 2024, crescimento de 29,6% ante igual período do ano passado. Em indenizações, foram pagos cerca de R$ 336 milhões, alta de 19,5%.

Levantamento feito pela Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg) apontou que a cobertura nacional residencial é de 17% de casas seguradas — ou 12,7 milhões de moradias protegidas por uma apólice, que custam em média R$ 500 ao ano – em torno de R$ 41 por mês.

Ainda de acordo com a FenSeg, se por um lado, as coberturas mais comercializadas dentro do seguro residencial são incêndio, danos elétricos, vendaval, roubo e responsabilidade civil, por outro, apenas 10% das apólices contratadas atualmente incluem a cobertura de desmoronamento, enquanto a de alagamento representa menos de 1% do total. A ideia é expandir esse tipo de seguro.

“É um desafio, e, ao mesmo tempo, uma grande oportunidade, levarmos estas coberturas menos contratadas à população, esclarecendo sobre a importância de ter um seguro completo que atenda a todas as necessidades”, diz o presidente da comissão de seguros patrimoniais massificados da FenSeg, Jarbas Medeiros.

Seguro infraestrutura para desastres

No ano passado, a CNseg também assinou um termo de cooperação com a ICLEI (sigla da ONG Governos Locais pela Sustentabilidade) para desenvolver um novo seguro para infraestruturas urbanas em caso de desastres climáticos.

O convênio foi assinado durante a COP28, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, por Dyogo Oliveira, e pelo secretário executivo do ICLEI América do Sul, Rodrigo Perpétuo.

A ideia é que esse seguro possa cobrir danos causados a infraestruturas municipais como estradas, ruas, pontes, escolas e hospitais que sejam afetadas por eventos climáticos.

O modelo já é comum em outros países, mas inédito no Brasil. O acordo, chamado de “Mecanismo de Seguro para Infraestruturas Urbanas”, tem o intuito de facilitar a tomada de decisão na gestão de risco de desastres nas localidades atingidas por algum incidente meteorológico, além de fortalecer a resiliência financeira das cidades a desastres.

Segundo apurou a CNN, a primeira etapa, que é a conversa com os municípios, já está acontecendo. E, de acordo com a CNseg, neste momento, é aguardado um panorama dos municípios para dar seguimento às etapas seguintes.

Mega-Sena 2718: sorteio deste sábado (27) tem prêmio estimado em R$ 3 milhões A maior criptomoeda do mercado apresentou uma retração em seu preço de 2.1% nas últimas 24 horas. No entanto, as baleias Bitcoin estão aproveitando a maré de baixa para acumular mais tokens em seus portfólios. Em meio às recentes quedas nos preços, os grandes detentores da maior criptomoeda seguem apostando alto no Bitcoin.

Exchange Rankings Crypto
Image: coinrc.com

Outro exemplo de deságio é encontrado em operações de antecipação de recebíveis.  Cuidado com o que vai dizer uni criptomoedaLuciano Ciattaglia, diretor de serviços da empresa de cibersegurança Hacken, disse que os novos usuários de ativos digitais devem evitar finanças descentralizadas (DeFi) ou exchanges descentralizadas (DEXs) ao iniciar sua jornada na cripto. Ciattaglia disse: Bitso também lança campanha

Polêmicas da Tether No mercado futuro, o investidor se compromete a comprar ou vender um determinado tipo de ativo em uma data futura com um preço pré-determinado, de acordo com seu perfil de risco e estratégia. empresa de criptomoedasA alta desse tipo de memecoin acontece após Trump afirmar, em 8 de maio, que iria garantir que pudesse ser usadas criptos nas suas doações de campanha. Prevê-se que o preço do Divi (DIVI) atinja $0.009883 até 2027.

Barinem Pene13 de maio de 2024 às 11h39 UTC (13 de maio de 2024) Enquanto isso, Samuel Huber, CEO da empresa de metaverso como serviço Landvault e da empresa de finanças sociais Matera, disse ao Cointelegraph que sua empresa testemunhou aplicações de metaverso no turismo, imobiliária e esportes. O que é Smartcoin? Veja as principais e como investirDesta vez, é o BNY Mellon, o maior banco custodiante do mundo, que revelou sua exposição ao mercado à vista de ETFs de Bitcoin. Especificamente, o registro do BNY Mellon junto à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) mostra que o banco detém ETFs BTC à vista da Blackrock e da Grayscale. ETFs de Bitcoin de Hong Kong e EUA observam movimentos contrários Por Rick Sanchez 07/05/2024Estados Unidos - Bitcoin (BTC)O último relatório semanal da CoinShares revelou que os produtos de investimento relacionados à criptomoedas tiveram sua quarta semana consecutiva de fluxos negativos, dominados pelas “saídas mensuráveis dos ETFs recém-emitidos nos EUA”.De acordo com o relatório, o mercado viu uma saída totalizando US$ 251 milhões, com os ETFs de Bitcoin à vista respondendo por mais de 60%, ou US$ 156 milhões, desses fluxos.James Butterfill, chefe de pesquisa da CoinShares, afirmou:“Estimamos que o preço médio de compra desses ETFs desde o lançamento seja de US$ 62.200 por bitcoin, pois como o preço caiu 10% abaixo desse nível, isso pode ter acionado ordens de venda automáticas.”Uma análise dos fluxos mostrou que o FBTC da Fidelity registou o maior montante de saída, com 131 milhões de dólares a sair do fundo, seguido pelo ARKB da Ark 21 Shares, que registou saídas no valor de 84 milhões de dólares.Enquanto isso, o IBIT da BlackRock registrou um fluxo negativo modesto de US$ 24 milhões, enquanto o ETF da Grayscale continuou sua tendência de saída, com US$ 277 milhões retirados durante o período.O desempenho destes ETFs elevou as saídas dos Estados Unidos para 504 milhões de dólares. Notavelmente, o Canadá, a Suíça e a Alemanha também registaram saídas totalizando 9,6 milhões de dólares, 9,8 milhões de dólares e 7,3 milhões de dólares, respetivamente.No entanto, apesar do desempenho dos ETFs Bitcoin à vista baseados nos EUA, os ETFs Bitcoin e Ethereum recém-lançados à vista em Hong Kong registraram entradas de US$ 307 milhões durante a primeira semana de negociação.Nigéria subornou Binance em US$ 150 milhões para liberarem executivo, informa NYT


Sister links

Sources

Bookmark-new.svg